5 Comentários
Nov 6, 2022Gostado por Méuri Elle

Oi, Méuri! ⭐️

Eu gosto de observar os ciclos das redes sociais e perceber que nenhuma sobrevive bem após 10 anos em atividade (ou pelo menos dentro no seu pico de funcionamento e satisfação dos usuários) - é um período longo, gerações inteiras atravessam e seu uso passa a ser continuamente questionado ou criticado. Parece que as companhias tomam 2 estratégias: fechamento/venda ou um novo posicionamento de mercado.

Acho que o Instagram tá passando por um período de grande insatisfação do público por conta da baixa entrega e da necessidade de se manter visível na maré através de impulsionamentos e patrocínio.

Minha área principal de atuação é Arquitetura, mas sinto as mesmas dores que você trouxe aqui. Está insuportável consumir qualquer conteúdo de Arquitetura pasteurizada no Instagram, e ainda era a minha maior aposta para conquistar clientes novos.

Sobre a permanência em plataformas de escrita como Substack: eu tenho acompanhado outros criadores de conteúdo por aqui e acho que é um bom movimento para nós do Brasil! Acho que a interface clean nos deixa mais à vontade para compartilhar e trocar pensamentos e fluxos criativos.

Tô ansiosa para te acompanhar daqui e ver seus estudos em tinta! ❤️✨

Expand full comment
author

Amiga ❤️

Fiquei tão feliz de receber seu comentário aqui!

Eu ando pensando muito também sobre esses ciclos, e to sentido que é mais saudável pensar nelas assim do que perder energia tentando insistir em manter o mesmo funcionamento e expectativas que a gente tinha alguns anos atrás. Eu estava lendo esse texto outro dia https://www.theatlantic.com/technology/archive/2022/11/twitter-facebook-social-media-decline/672074/?s=08 também pra buscar outras perspectivas ou ideias de como a gente pode seguir daqui pra frente.

Eu to adorando acompanhar outros artistas e profissionais por newsletter e me lembra um pouco a dinâmica que eu tinha 6 anos atrás de entrar diariamente em sites e blogs pra acompanhar novos conteúdos. A gente ficou muito passivo com o instagram e agora o tiktok, então eu to tentando forçar de novo esse movimento ativo de ir buscar conteúdos, inspiração, noticias de arte etc.

Obrigada por estar aqui comigo!

Expand full comment

adorei ver suas criações e bem vinda de volta!

Expand full comment
author

Obrigada, Paula! Feliz de ter você por aqui também!

Expand full comment

Olar [ Alerta textão haha].

Faz mais ou menos uns 2 anos que eu comecei a me aventurar em ilustração. Em 2020, quando eu comecei a desenhar eu postava no insta e tinha um certo numero de likes. Depois em 2021 eu ja tinha terminado alguns cursos e comecei a fazer Ilustração na quanta academia de artes. Meu traço melhorou um pouco e meus likes cairam 5 vezes ou mais haha foi bem bizarro e foi quando me dei conta que usava os likes pra medir meu progresso

Só um parênteses, eu não quero ser 100% ilustrador, na verdade tenho vontade de fazer freelas e lançar alguns projetos independentes, mas me mantendo como ux researcher, comecei a pensar nisso depois que livro da Emily Wapnick sobre multipotencialidade: https://www.beirarioconforto.com.br/post/en/comportamento-e-estilo-de-vida/multipotencialidade-um-meio-para-renovar-a-carreira

Um não tão breve parênteses só pra contextualizar que não busco viver 100% como ilustrador, então a estratégia é um pouco diferente, ou seja eu não dependo 100% das redes pro meu sustento o que é o cenário de muitos ilustradores.

Porém quando eu comecei a estudar mais sobre se profissionalizar em ilustração eu me deparei com vários cursos e livros, em particular o conteúdo do Victor Beuren, além do curso ele tem muito conteúdo bom gratuito.https://www.youtube.com/c/victorbeuren/videos

Não consegui achar agora o video especifico que ele fala disso, mas basicamente ele e muitos outros ilustradores dos grupos que estou falam que o instagram são bons para encontrar trabalhos que são mais comissions ou de clientes pequenos e embora possa de fato abrir muitas portas não é o único caminho. Lembro de ouvir muito isso, que se a gente quer trabalhar com comissions para pessoas físicas então de fato faz muito sentido investir nas redes sociais, mas depende muito do foco. Pra literatura infantil mesmo, que é um dos meus interesses, o twitter é melhor que o insta.

Além disso, outro ponto que acho interesse e que ouvi dele, foi sobre prospecção ativa: você ir atrás do cliente. No grupo do curso dele ouvi muitos relatos bem sucedidos e outros grupos também. Acho que meu ponto aqui é mais que insta não é a única solução, acho que depende muito do que a gente busca como ilustrador. Então, de fato não vale a pena pirar no insta se os seus clientes não estão lá.

Por outro lado tem a perspectiva do insta que antes era muito legal: de estar mais próximo da comunidade, consumir e compartilhar suas artes. Infelizmente isso também ficou péssimo, hoje a cada 1 imagem que você vem tem 5000 videos e mais 8726378263 propagandas. então o insta tem sido um bom combustível ansiogenico. Antes eu sentia que o insta ajudava a nos sentir menos sozinhos nesse mundo da ilustração, acho que antes o engajamento era mais orgânico e você realmente se conectava, hoje tem sido bem desanimador.

E uffa haha seu textinho me fez refletir.

bem-vinda de volta!

Expand full comment